musicaefantasia

Musica e fantasia: curtas as sugestões de discos, filmes e livros.

Categoria: século 18

Suíte para violoncelo BWV 1007 de Bach, com Pablo Casals

O intérprete é parceiro do compositor, pois escolhe como transformar suas ideias em sons musicais. Pablo Casals foi mais do que isso no caso das suítes para violoncelo, pois as salvou do injusto esquecimento em que estiveram até 1936.

Concerto para violão em Ré maior, de Vivaldi

Não por acaso Antonio Vivaldi era padre: suas músicas têm um valor espiritual muito grande. Por exemplo, em seu Concerto para violão em ré maior, há uma voz que nos entende e nos conforta, igual a um padre confessor.

O problema da indução, segundo David Hume

O problema da indução, segundo David Hume

David Hume foi o filósofo que, no século 18, lançou o problema da indução: como, a partir do fato de que o Sol nasceu ontem, pode-se garantir que vá nascer amanhã? A indução é a base da ciência empírica.

A fragmentação da atenção

A fragmentação da atenção

É difícil escrever blogues ou textos mais densos no tempo da fragmentação da atenção. São SMS, tuítes e interrupções pontuais o tempo todo. Surpreendentemente, no século 18, David Hume já dizia que a consciência é em si pura fragmentação.

Heterônimo, segundo Fernando Pessoa

Heterônimo, segundo Fernando Pessoa

Heterônimo foi a palavra que Fernando Pessoa criou para indicar uma persona literária, um autor, diferente daquela de quem escreve. Podemos entender como um processo teatral, ou até como algo mediúnico, apesar de não haver necesariamente outros espíritos envolvidos.

O mito de Don Juan

O mito de Don Juan

Há leituras profundas, mas a psicologia de botequim lê rasteiramente o mito de Don Juan: ele seria a id dos impulsos; seu escudeiro, o ego que os intermedia com a sociedade; e seu pai o superego dos controles éticos.

Oratório de Natal, de JS Bach

Nas descrições dos oratórios de Bach, há informações sobre a cultura judaica (a cultura de Jesus, afinal) que o brasileiro médio não tem: por exemplo, que Jesus foi circuncidado. Estranho, pois este é o tempo das informações. Feliz Natal.

Chaconne de Bach, por Andrés Segovia

Não é exagero dizer que Andrés Segovia está para o violão clássico assim como Jimi Hendrix para a guitarra elétrica do rock: autodidatas, ambos redefiniram como tocar seus respectivos instrumentos. E até hoje suas técnicas são marcantes e matadoras.

Bach, com Rostropovich

É incrível, inacreditável mesmo como um velhinho russo, filho de Leopold, consegue passar tanta energia tocando composições de um alemão do século XVIII em um violoncelo puramente acústico. Além da energia, vem uma sensação de paz, de profundidade enfim.

Aleluia, de Haendel

Criaram a notação musical para garantir a igualdade dos ritos religiosos? Talvez. Certo é que a notação permitiu que músicos compartilhassem suas melhores ideias. Assim, a música evoluiu. E dá pra garantir que há músicas religiosas muito, muito bonitas.